Gestão de colaboradores em Home Office

A Gerente de Negócios Juliana Coelho compartilha a experiência de liderar sua equipe à distância

A entrevista de hoje foi um bate papo com Juliana Coelho, gestora do Núcleo de Negócios e colaboradora da Neoconsig a 5 anos. Conversamos com a entrevistada sobre como têm sido a gestão de colaboradores neste cenário de pandemia, onde a Neoconsig encontra-se com 100% do seu quadro de integrantes em home office.Juliana coordena as operações em relação ao Núcleo de Negócios e, sua equipe é composta por 5 colaboradores. Para ela, o maior desafio da gestão remota é a comunicação “Transmitir a informação dentro do time e, na linguagem adequada, exige confiança e comprometimento. Neste momento, sem a interação pessoal e a comunicação corporal, ultrapassar o ambiente “virtual” das vídeo conferências é mais uma necessidade do que uma habilidade. A equipe precisa “sentir” que faz parte de um contexto maior, que esta situação é momentânea”.Quando indagamos sobre qual seu panorama à respeito do modelo home office, Coelho conta que o modelo rompeu barreiras culturais e ganhou força, já que, várias empresas afirmam que mesmo após a pandemia irão continuar exercendo o modelo em suas rotinas, e que, para ela, esse modelo realmente veio para ficar.Também dialogamos com ela sobre a tecnologia e como a gestora têm usado a mesma à seu favor. Juliana relata que uma das ferramentas mais imprescindíveis no seu dia a dia – e no de muitas outras empresas – são as salas virtuais de reunião, onde ela pode discutir projetos com sua equipe, e fazer a gestão das demandas de cada colaborador, “Acredito que 80% do sucesso do home office se deve à tecnologia, os outros 20% ficam como “desafio” para o colaborador em vencer algumas limitações impostas por este modelo, como: o isolamento social (principalmente para quem vive sozinho) e as “distrações” para quem ainda não desenvolveu a auto gestão”.Para finalizar, pedimos para que Juliana compartilhasse seu segredo para uma boa gestão de equipe: “É preciso ter confiança, diálogo. O cenário está imprevisível e é normal que as pessoas comecem a ficar inseguras e ansiosas. Busco manter uma relação saudável, direta e sincera com foco no que já fazemos de melhor: atendimento de excelência e entrega de resultados!”.

  •  Fonte : https://www.linkedin.com/feed/update/urn:li:activity:6676495378428309504